31 outubro 2007

Não há coincidências - a crítica musical

Título: "Não há coincidências - a crítica musical"
Local:
laboratório da parvoíce
Modelos:
Artistas dos vídeos
________________________________________________

“Não ha coincidências”

Este poderia ser o título de um post sobre algum livro famoso de uma escritora não menos famosa, onde a personagem principal ousaria contar o seu dia-a-dia, amores, encontros e desencontros! Onde a intimidade feminina seria levada ao extremo num misto de estupidez e sensualidade...


Mas não... hoje aqui o assunto é outro! Trataremos de uma temática algo polémica: o plágio!


Sem mais demoras, convido-vos então a que se instalem-se confortavelmente nas vossas cadeiras e a assistam ao video que se segue:

Ainda a cantarolar? Um clássico não é verdade??

E se eu vos dissesse que este vídeo não é original! Que esta música não passa de uma cópia descarada de um original de Tony Carreira?? No mínimo escandaloso, também concordo! Mas, se não acreditam, assitam ao próximo video onde cantores como Michael Jackson e Lionel Ritchie são revelados como pobres imitações de grandiosos artistas nacionais como Tony Carreira e Ágata... para quê mais conversas?? Este segundo video é a prova disso mesmo!!


Boquiabertos? Confesso que também foi esse o meu estado pós traumático! A ideia de juntar num mesmo cenário vários artistas de auscultadores, abanando a cabeça enquanto cantam... Hummm... quer-me parecer a mais ridícula e evidente imitação! Sendo que os primeiros perdem por não possuir uma melodia iniciada por um piano celestial! Já por não falar na espectacular letra portuguesa que os outros nem talento tiveram para imitar, numa tentativa de soar a original, não fossem os olhares atentos de algum público (no qual aliás me incluo)...


Onde mais se encontram versos como “Santa mãezinha, nossa alegria, abençoado o teu nome Maria” fluindo numa ode celestial como que mel para os nossos ouvidos??


That’s all Folks

3 comentários:

Pacanherros disse...

We are the world, we are the children, we are... mãe querida mãe querida, o melhor ca gente tem, não há outro amor na vida igual ao amor de mãe...


Já não me sai da cabeça tão cedo...

Excelente.

disse...

Pura verdade!!

Realmente são tempos idos... cheia de saudades desses tempos, em que os Americanos faziam-se. Hoje seriam apanhados à mínima tentativa de plágio.

Os americanos aprendem connosco e são produto nosso. Como já não andamos bem, eles andam pior ainda.

Pode ser que aparece outro Tony ou outra Ágata. VIVA AO PORTUGA!!

...e já agora...já tantaste traduzir uma música do Jon Bon Jovi? Ora tenta!!

LOLOLOLOLOLOLOLOLOL

Barras disse...

Agora vai lá ver se o Donald Thrump não imitou o Marante no penteado!!!
Ah pois é!!!!

Devo dizer que rever o video da "Mãe querida" me deixou os pelinhos todos espetadinhos!!!Tou completamente arrepiado!!!
Eu adoro a forma como dizem aquela bela frase: "...que ainda tem quem o viu NACER!!!" (de notar o desaparecimento do S em nascer que passa a nacer!!!)