16 abril 2008

Anita a poetisa-revelação

Título: "Anita a poetisa-revelação"
Local: Laboratório da parvoíce
Modelos: Anita e a sua obra
________________________________________________

Sei que através do blog revelo muitos dos meus dons artísticos e estupidiformes! Hoje presenteio-vos com mais um, para muitos de vós desconhecido, que é a minha veia de poetisa!!!

Há tempos, numa fria noite por altura da Páscoa, perdida na Beira Alta redigi o seguinte poema! (Ao lerem imaginem a banda sonora do Ave Maria de Maria Callas).

Na altura, no calor da emoção, tive oportunidade de o partilhar com algumas pessoas mais chegadas, hoje é chegado o dia de o revelar ao mundo!

Cofcof... ora cá vai...

 

É noite.
Lá fora cai a doce geada
E no silêncio do lar
Mato uma mosca esmagada

Ouvem-se gritos sangrentos
(Os) vizinhos correm às janelas
Mas na penumbra da noite
Não restam quaisquer sequelas

Anita @ Penela-da-beira

24 de Março de 2008

 

Deixo-vos com estas sentidas palavras, já com uma lágrima a escorrer-me pela face!

 

IMG_8396

That's all Folks

11 comentários:

rita (tátiana) disse...

Para quando o livro "Anita e o seu best of momentos poéticos"? Se falares com o senhor da Bisturi lá na faculdade pode ser que ele te arranje umas prateleirazitas!
Não sei, acho que era uma boa ideia...
O teu poema elevou-me a alma. Parece que sinto a dor da mosca e a surpresa dos vizinhos!

nitapika disse...

Estimada leitora RITA TÁTIÁNÁ:

Agradeço desde já as amáveis palavras de incentivo! Ponderarei com toda a certeza o lançamento de um livro dentro da temática... Quiçá enciclopédia com fascículos de toda uma panóplia de conhecimentos que tenho para partilhar com os mais desprotegidos!

Terei todo o gosto de autografar o seu!

Sem outro assunto,
Anita

Rstx disse...

ola, já conhecia as tuas pérolas a nivel da parvolândia já a algum tempo, mas recentemente voltei a ver um dos teus videos e descobri o teu blog, no qual reparei que postavas coisas interessantes de se ver, e de se sentir, como este poema "digno de um dos maiores poetas que alguma vez não se ouviu falar!"...lool

Voltarei a vir visitar o teu blog mais vezes, esperando sempre novidades e muita boa disposição..

Abraço

Rstx

JBrito disse...

Tende o autor cair sempre no egocentrismo;
O lado Díptero

É o meu quinto dia de vida.
Lá fora cai qualquer coisa gelada.
Estou com meia vida passada
BAH!?
Sinto uma grande pancada

O que me aconteceu?

Nas réstias do zumbir das minhas asas
Deixo de sentir as mesmas
Oiço janelas
Não chego ao sexto dia de vida

Não rima, mas é narração de um moscardo, não podemos pedir mais…

Dr. AL. disse...

Chegaste uma vez mais ao meu coracao...que tragedia tao bonita.e o juntar de dois mundos, um mundo cruel e implacavel e ao mm tempo um mundo cor-d-rosa onde fica a saudada (da mosca).

Parabens!!

Baixita disse...

Oh:( Eu também quero!!
Quanto a mim, espero ansiosamente pelo relato dessa grande aventura que foi gravar com o Panda:)

Beijinhos

PS-Confesso que o suspense de tão excitante narrativa em forma de verso me prendeu também do início ao fim:)

nitapika disse...

RSTX:
Obrigada pela visitinha, volta sempre e deixa comentários! Obrigada também por partilhares esta minha dor do ser do grupo dos maiores-poetas-que-alguma-vez-não-se-ouviu-falar! Sei que tenho um lugar reservado para mim no mundo da poesia, só não sei como lá chegar! Entretanto sirvo-me deste blog para libertar essa minha tensão poeta! Até À próxima!

Jbrito:
Clap clap clap! Mas que jogo de palavras sábias e repletas de emoção! O discurso do "outro lado" do ser chacinado! Obrigada pelas visitinhas contínuas, já te tornas um habitué desta espelunca!

Dr.Al:
Também eu sempre me emociono sempre que leio estas palavras e recordo aquela fria noite de Páscoa em que o sangue escorreu pelos móveis comidos pelo pó daquela casa!

Baixita:
Sabes bem que o teu autógrafo também está garantido! Para as minhas filhas deixo tudo! Só não deixo o coração porque ainda me faz falta!
Quanto ao relato do assunto "Panda", talvez mais tarde!!

A TODOS:
Um ENORME bem haja e boltem sempre!

Sem outro assunto me despeço,
Anita - também conhecida apenas como a-miúda-extremamente-sexy!

Arcebispo de Cantuária disse...

Miúda-extremamente-sexy! também conhecida mais complexamente por Anita,

Gosto de poesia tétrica
Com moscas a morrer p'las goelas
Mas cuidado com a métrica
Que está errada no verso das "Janelas"

(tem 1 silaba a mais, experimenta tirar o "os" aos "vizinhos")

(não é muito simpático para primeiro comentário aqui no blog, pois não? mas é um elogio... a sério, até pus a Miúda-extremamente-Anita no " gugle ridér").

nitapika disse...

Oh meu Deus! Uma sílaba a mais?? Como pude eu cair em tal erro!!! ;)

Irei alterar com toda a certeza!

Bem haja!

Arcebispo de Cantuária disse...

Não é por mim, é que se à ASAE lhes dá para zelar pela aplicação do Acordo Horto-Gráfico, a Anita podia ter chatices (chatisses? chatiçes? como é que isto se escreve em brasileiro?!)

Parte séria: esta brincadeira (ainda que a parte da métrica seja verdadeira), foi só para agradecer a vista e comentário ao blog da Última Sopa e, já agora, convidar a Pessoa-Extremamente-Anita (contrário da outra que "não era bonita e acreditava que a noite cai" quanto toda a gente sabe que ela se "põe") a ler mais "curtas e secas" na minha própria sacristia (não convido a visita ao confessionário porque há mentes muito perversas e já me dei mal :)

JBrito disse...

Não consigo evitar é mais forte "dos que-eu" ...(assim escrevendo na noissa lingua natau!?) (como me enerva o hacordo ortó-grafico,e é assim que se-ecrever tá vê) ...a minha visita aqui a tua "tent" (é má fino tá-a-ver).
Com tantos (""(")"( fico perdido, onde é que ia? A lado nenhum, não ia a lado nenhum...
Google Reader avisa e o menino passa na menina Anita e alegre-se-assim o dia.
este entre outros blogues, como o do Bruno Nogueira que acho FENOMENAL a sua escrituras...
Um bem haja e aquele beijinho, se me permite.